Invernos rigorosos

Isolado, deslocado, tentando deixar tudo perfeitamente como estava, antes do desastroso inverno. Como apenas alguns meses mudaram tanto o nosso relacionamento, antes em perfeita harmonia, e agora a quilômetros de distancia um do outro? Sinto que já não te faço sorrir calorosamente, aquele sorriso que enchia qualquer lugar, e que a minha participação foi tomada e conquistada por outras pessoas que agora fazem parte do seu vocabulário diário. Te ver assim tão completa sem o meu carinho, tão alegre me faz pensar se todos esses anos você estava fingindo ser completa ao meu lado, e em nada melhora pensar que uma pessoa realmente boa ficaria, pelo contrario, feliz por você. Agora vejo você abraçada com outros, de mãos dadas com outros, dividindo piadas com outros enquanto eu não consigo tirar o ar de desânimo do rosto. Suas atitudes sempre foram melhores que as minhas, isso todo mundo sabe, mas eu nunca achei que um dia eu não serviria mais pra você. O pior de tudo é que eu realmente não sei qual foi a besteira que eu fiz naquele inverno, pois na minha cabeça estava indo tudo muito bem, alias estávamos nos dando tão bem que eu achei que você tinha enfim me desculpado pela outra grande besteira que eu fiz naquele outro inverno. Acho que essa estação não é nosso forte.

 Em todo lugar que eu olho você é o centro das atenções, o rosto que todos estão olhando, a pessoa que todos estão curtindo. Exceto claro, eu. Tento curtir de longe pescando informações para poder puxar assunto depois, pensando em frases que renderiam mais alguns preciosos minutos da sua voz na minha vida, mas todo o esforço é em vão quando você, seca, corta logo pela raiz a minha conversa. Incrível como a sua presença desencadeia um mar de emoções antônimas em meu corpo, faz meu cérebro entrar em confronto com minha mente, minha razão se depara com meu coração e meus instintos se desnorteiam, sem se decidirem se continuam te idolatrando ou se te enterram de baixo de uma pilha de desilusões. Tento manter uma fachada de um homem forte e sem sentimentos para você não perceber que me atingiu como uma pedra e que estou mais vulnerável do que nunca estive. Acredito que só o tempo vai curar nossa ferida, mas o sentimento de impotência me consome e suga todo o resto de calor que eu tenho em mim. Por isso eu te peço, antes que o calor se esvazie por inteiro no meu coração, me diga o que fazer para te ter de volta, porque agora, mesmo você estando a metros de distância, nós estamos muito distante.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s