(In)cômodo

Eu não sei lidar. No fim, você estava certo em achar que talvez eu fosse imatura demais para tudo aquilo, mesmo sendo muito mais madura em outros pontos. Eu nunca soube lidar com todo aquele turbilhão de sentimentos que chegavam a transbordar. Eu sempre os recolhia com medo de que você os visse. Acho que no fundo era por medo de que você fosse embora, por medo de que você não soubesse interpretar e ficasse tão desesperado quanto eu. Mas, ainda mais fundo, talvez fosse a chance de você me ver com outros olhos.

Criamos uma certa distância entre nós, mesmo quando estávamos jogados nos lençóis da forma mais pura que sabíamos estar. Tudo aquilo era muito novo para mim e eu era tão desesperadamente apaixonada por cada segundo que não sabia como te manter ali. E talvez você também não soubesse como me manter. Suas mãos me tocavam constantemente, mas sempre com certo cuidado. Parecia que você também estava enfrentando algo novo. Talvez experimentando o medo de que eu também me afastasse do seu toque.

Nos faltou conhecimento. Por mais curiosos que fôssemos, por mais que gostássemos, o medo soou mais forte. Acho que o que você deveria saber é que eu nunca soube tocar alguém porque não encontrei uma forma que fosse suficientemente verdadeira para demonstrar todo o meu afeto. Pelo menos não fisicamente. Eu te observava tentando demonstrar de alguma forma. Decorei cada sorriso que você dava, pois meus braços eram inseguros demais para te tocar o quanto eu queria.

Você sempre transpirou paixão. Entre abraços, carícias nas mãos e até o arrepio com seu toque em minhas costas. Eu quis te causar toda a vibração que você me causava. Você me mergulhava delicadamente no seu calor e era cada vez mais aconchegante. Seu calor sempre me deixou confortável e meus lábios procuravam demonstrar que eu estava ali. Eu sempre estive, apesar de todos os meus silêncios.

De todas as perguntas que não fizemos, de todas as respostas que não soubemos dar, eu finalmente me lembrei de uma pergunta tua que teria respondido todas as outras. Eu não te disse, mas meu silêncio enquanto eu observava todas as coisas pelos caminhos que fizemos, era porque eu procurava, de alguma forma, te dizer o quanto era bom estar com você.

Eu estava aprendendo a gostar do seu toque. Eu só queria ter aprendido uma forma de te tocar também.

incomodo

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s