É preciso se deixar levar.

Ele se foi já faz um bom tempo, um ano ou mais, não sei bem ao certo, mas existem manchas suas que estão complicadas de tirar. Achei que se eu deixasse meu coração de molho elas fossem sair mais fácil, mas o processo é lento.

Não impossível. Apenas lento.

Não é como se eu ainda esperasse por ele em algum nível, não, essa mancha já foi esfregada por completo e mesmo se eu voltar a enxergar um resquício dela já não me incomodo de sair e deixar o mundo ver o pouco desta sujeira que ainda me cabe.

Mas sim, ainda existem manchas que me afligem e que instigam a minha insegurança por onde vou. Ele não manchou apenas o meu passado, houveram respingos maiores que eu só fui perceber mais tarde – o que na época era o meu futuro, e hoje meu presente – e que parecem que, por terem sido deixadas de lado, não querem mais sair. Eu vejo o rosto dele em todas as minhas tentativas de relacionamentos, mas não com um saudosismo da “nossa época” ou como um ideal a ser batido, eu o enxergo como uma previsão de que tudo, por mais infinito que pareça, um dia acaba. O seu amor era como um cobertor que me esquentava e que, no dia em que ele chegou e me descobriu, me deixou de alma fria.

Sinto como se eu tivesse medo de o dia que alguém voltar a querer esquentar meu coração de gelo, este apenas derreta. Vivo evitando a felicidade, dando voltas desnecessárias na minha mente, amedrontada não apenas com o pensamento de me machucar novamente, mas também de ser a pessoa que manche a história de alguém. Dá ou não dá pra falar que isso é egoísmo? Guardar afeto apenas para você por receio de machucar os outros?

Por outro lado, tento me lembrar de que não posso personificar o meu pior caso como a história da minha vida. Na minha biografia não pode conter o nome dele em todos os capítulos. Preciso deixar um deles intactos, deixar esta mancha de fora do capítulo em que eu conto como te conheci, e como desde a primeira vez que te vi todos os outros rostos ficaram borrados e esquecidos na escuridão. Eu não tinha previsão nenhuma, e isso era bom.

Então eu te peço uma coisa, quando eu abrir meu coração para você, por favor tente passar por cima do fato de estar frio lá dentro por enquanto – I´m still working on it – porque eu sei e espero que juntando dois corações presos no inverno, nós possamos esperar pelo verão sem medo algum.

 18004217_FJQN5

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s